01 maio 2019

Resenha: Luna Radiante - Natura

Doçura que abraça
E exala poder 

Doçura que encanta
E faz viver

Viver feminilidade
Viver sensualidade

Viver autenticidade
Viver dualidade

A individualidade do meu ser 
Que se une com a individualidade do prazer

Do prazer de me sentir flor
Do prazer de me sentir amor

Luna Radiante é sutilidade marcante
É encanto de mulher

É um doce encantador que sei exatamente de onde vem
E que me faz muito bem


Notas de saída - Toranja, mandarina, pimenta rosa
Notas de corpo - Muguet, jasmim sambac, paramela
Notas de fundo - Patchouli, musgo, priprioca

Na saída, toranja e mandarina se mostram mais doces do que cítricas e ácidas, enquanto a pimenta rosa me aquece com sua leve quentura apimentada. Aquela sensação de saída ardida no nariz característico da pimenta.

No corpo, um floral branco com resquícios doces da saída. Não se trata de floral que ataca, mas que o deixa feminino, sensual, poderoso.

No fundo, priprioca é uma nota que identifico facilmente, mas, aqui, nada dela. Sinto mesmo é a força do patchouli. Patchouli imponente, pouco terroso, mais quente, acolhedor.

Após todas as evoluções, um perfume perceptivelmente adocicado, floral, quente. Não! Nada de toque amadeirado (patchouli não é madeira, mas, algumas vezes, tem essa característica, entretanto, no Luna Radiante, nada de pegada amadeirada).

Eu me apaixonei pela fragrância desde o primeiro dia. No segundo dia de uso, surpresa!! Ela me pareceu muito mais forte, mais marcante, tanto que senti uma leve dor de cabeça, o que me fez lembrar do Flora by Gucci, meu perfume preferido da vida, um floral que eu acho agressivo, e chega a dar essa dorzinha.

Outra coisa que me surpreendeu foi a fixação e projeção. Passo às 6h30, às 16h ainda projeta, chego em casa às 18h e ainda está imperando.

Luna Radiante é extremante feminino, sensual, sexy, poderoso, marcante. Pelo comportamento dele em minha pele, usá-lo durante o dia, num sol escaldante, é um grande pecado. 

Foi feito para conquistar, para marcar, para chamar atenção por seu aroma encantador. 
Tem feminilidade imponente, beleza estonteante, sensualidade irresistível.

Conquistou meu coração e não o largo mais!!

21 abril 2019

Resenha: Diaurum Black - Charme Essência


Que cheiro é esse que me estonteia?
Que cheiro é esse que me envolve em doçura, que me aquece o coração?
Que cheiro é esse que se mostra tão singular quanto a minha identidade?
Que cheiro é esse que desperta a sensualidade?

Diaurum Black é um perfume com tantas belas definições, que proporciona tantas lindas emoções.


Diaurum Black é um eau de parfum oriental couro da coleção Nativus da Charme Essência. 


Diaurum Black que, na língua indígena, significa “Onça negra poderosa” foi inspirado e desenvolvido para homens e mulheres com presença, imponentes, decididos e que buscam na natureza tudo que é fundamental para manterem íntegras suas personalidades fortes e determinadas. 

Resumidamente, Diaurum Black é definido como um couro especial, sustentando o doce encantador da fava tonka e da jaboticaba permeados por notas sintéticas animálicas.

Notas de saída - Jaboticaba, cardamomo e pimenta rosa
Notas de coração - Fava tonka, tabaco e cashmeran
Notas de base - Musgo de carvalho, couro, musk e patchouli


Diaurum Black (DB) é uma criação ímpar com requinte de sofisticação. É exatamente essa minha definição para dele.

Na saída, o doce frutado da jaboticaba me abraça sem a intenção de soltar. Isso me agrada muito porque essa nota me encantou. 

Pimentinha rosa e cardamomo aquecem esse abraço, o torna ardente, mostrando segundas intenções, as de que querem me amar intensamente. E eu, claro, me deixo envolver nessas intenções. É até impossível resistir às tais. Sinto-me amada de maneira delicada e forte ao mesmo. 

Aqui, malícia escondida por trás da inocência, uma mulher decidida, sensual, sexy.

No corpo, fava tonka dá continuidade a doçura inicial e cashmeran intensifica a quentura, enquanto o tabaco torna o DB másculo, imponente. 

Nessa fase, um homem sedutor, um homem que domina a arte da conquista, que sabe como fazer o ''circo pegar fogo'', que sabe como conseguir o que quer. Um homem poderosamente irresistível.

No fundo,  couro esfumaça qualquer rastro de musk. Uno com o patchouli, se torna um esfumaçado com um toque terroso. Essa união me faz pensar que estou em uma floresta de terra marrom escura úmida, com alguns incensos acesos, sentindo o ar gélido tocando a minha pele, o aroma transformando o meu estado de espírito. 

DB é um perfume compartilhável, entretanto, ao meu olfato, ele pende para o masculino do que para o feminino (a fase inicial é o lado feminino, as fases seguintes é o masculino). Mesmo assim, me sinto totalmente confortável usando essa joia olfativa. 

No início, me sinto uma mulher olfativamente sensual, sexy. Ele me envolve de maneira feminina. Depois da evolução inicial, sinto como se estivesse nos braços de um homem forte, mas delicado, intenso, protetor, quente.

Clique aqui para adquirir o Diaurum Black e aqui para conhecer todos os perfumes da Charme Essência.

06 abril 2019

Resenha: Good Girl - Império dos Perfumes

Não sou a louca dos perfumes, nem sou conhecedora de muitos. Apenas gosto de sentir aromas e descrever como os sinto (sou mesmo apaixonada por aromaterapia).

Aromas é questão de percepção e gosto de deixar claro isso. Sentimos diferente.

Aqui estou para sobre as minhas impressões de um contratipo do Good Girl de Carolina Herrera.


A pirâmide olfativa do Good Girl original é a seguinte

Notas de saída - Amêndoa e café
Notas de corpo - Jasmin árabe e tuberosa
Notas de fundo - Fava tonka e cacau


Ao meu olfato, um perfume doce, mas um doce comedido, nada enjoativo.
Essa doçura vem desde a saída e se estende até o fundo.
Entre a saída o e fundo adocicados, o corpo é um floral muito ameno (quase imperceptível). Sinto mais esse floral quando levo o pulso ao nariz (ele não projeta as flores, não na minha pele).
É um perfume que exala a doce feminilidade, a sutil sensualidade. Tudo muito leve, sem ofender o olfato alheio.

Falam muito que o Good Girl é noturno. Esse não fica restrito a esse turno. Consigo usar durante o dia, no sol escaldante de Recife.


Além do perfume, o hidratante Good Girl.

De aroma leve, não deixa a pele melecada.
Para quem não sabe, a falta de hidratação natural da pele influencia muito na fixação dos perfumes. Dessa forma, quando se tem a pele seca, é necessário investir em hidratantes para que a fragrância fixe. Um hidratante neutro é o indicado, porém tem algumas marcas que já têm os hidratantes de seus perfumes.

Como não conheço o Good Girl, não posso fazer comparações.

O meu contratipo veio da Império dos Perfumes e você pode adquirir ou conhecer todas as opções disponíveis aqui.

Contratipos caíram no gosto de quem gosta de perfumes são perfeitos para quem não tem alto poder aquisitivo ou para quem gosta de ter contratipos de seus perfumes preferidos a fim de usá-los no dia e dia e deixar o original para ocasiões mais especiais. 

23 fevereiro 2019

Resenha: Perfume Black Rose

Leveza de brisa
Romanticismo de primavera
Amor inocente 
Amor adolescente

Assim é o Black Rose Real Time, perfume feminino floral frutal. 


Black Rose possui aroma doce e delicado ideal para mulheres espontâneas, charmosas e românticas. A surpresa desse perfume está em sua nota olfativa de Pimenta Rosa, que dá um toque levemente sensual e sedutor.

Notas de saída - Bergamota, pêra, nectarina e pimenta rosa;
Notas de corpo - Rosa, jasmim, pêssego e violeta;
Notas de fundo - Cedro e almíscar.

Essa fragrância inspirou-se no romantismo e na pureza. E ele é isso, romântico e puro.

Por sua delicadeza e sutilidade, é um perfume que me remete ao primeiro amor. Amor inocente, amor adolescente.

Na saída, ele se mostra doce suculento com um toque suave da pimenta rosa;
No corpo, flores, flores e flores! Flores suaves, delicadas, levemente assabonetadas;
No fundo, ao meu olfato, cedro e almíscar inexistem. Aqui, a pegada assabonetada domina.

Black Rose é um perfume para quem gosta de aromas suaves, intimistas, só para si.
É um perfume que não tem muito o que falar, não tem muitas evoluções. É, realmente, para quem gosta de perfumes femininos que ficam guardados em si.

O meu veio da Ibay Brasil. Clique aqui para conhecer os perfumes disponíveis!

01 fevereiro 2019

Resenha: Chypre Clair - Condé Parfum

Eu já deveria ter publicado sobre esse perfume que me entorpece até a alma, o Chypre Clair da Condé Parfum.

Faz-me dançar na chuva
Em uma floresta verdejante
De terra escura 

Faz-me radiante
Renovada
Iluminada
Pela natureza, amada


''Chypre Clair é inspirado em um perfume fresco com uma quase áurea chypre, uma das famílias olfativas mais importantes da perfumaria.
Uma fragrância simples e ao mesmo tempo sofisticada, criada para adaptar-se a um clima tropical. Por essa razão, sua saída é composta de um conjunto de cítricos como petitgrain, limão siciliano, bergamota e limão da Pérsia, prolongando o frescor.
No corpo, o revigorante e saboroso chá verde junto ao bambu, continuando o acorde verde e fresco, mas com pitadas de flores aquáticas, sem alterar sua essência.
Na base, nuances de musgo de carvalho e vetiver, refinando e finalizando esse perfume predominantemente fresco e ao mesmo tempo um quase chypre ou, porque não, um chypre moderno?''

Para começar, eu nunca tinha sentido um perfume com a nota de petitgrain tão forte e evidente (petitgrain é um dos meus aromas preferidos da vida, o terceiro, depois de ylang ylang e gerânio).

Petitgrain tem um aroma que me lembra Natal, que me transporta para uma floresta só de pinheiros, me faz ver pinheiros que exalam petitgrain. Isso é bem desconexo porque pinheiros não têm cheiro de petitgrain. Ele é extraído de folhas cítricas e o meu olfato passa longe de sentir a citricidade dele, mesmo que suavemente. Seu aroma é alaranjado, mas o sinto totalmente verde, verde molhado, um verde enraizado.

Na saída, a mistura perfeita do petitgrain com o limão siciliano cria uma sinfonia olfativa extraordinária (o cheiro da nota de limão siciliano me faz querer litros e litros de limonada suíça). Pra mim, até hoje, essa é uma combinação ímpar, incrível e narcótica. Nessa fase, um perfume verde e amarelo, florestal e fresco.

Vale o seguinte adendo: Essas notas, na minha pele, permanecem da saída até a base.

Passada a evolução para o corpo, o acorde verde só intensifica a minha ideia fixa de aroma de pinheiro, aroma de Natal. É exatamente isso que me entorpece e me faz morrer de amores por ele.

Tem notas de flores aquáticas no corpo? Tem! Porém o meu olfato não identifica e eu acho o máximo, já que não sou fã delas.

No fundo, o telúrico e rançoso vetiver numa concentração sutil, mas dando seus belíssimos ares das graças, deixando o perfume florestal, terroso, marrom, chuvoso. É, ao meu olfato, quase imperceptível porque petitgrain e limão siciliano reinam do começo ao fim e de maneira nada tímida.

O meu olfato o define como um perfume verde, florestal com um toque deliciosamente fresco.

Não é um simples perfume fresco. É um perfume com grande potencial sedutor, grande potencial entorpecente. Um perfume sofisticado, muito bem elaborado. Um perfume para ser assinatura olfativa de quem o escolhe. 

Me faz bem
Me alegra
Me anima
Me deixa pra cima

Aqui sim é uma experiência olfativa extraordinária, daquelas que passam longe de ''perfumes de massa.''

O meu Chipre Clair veio da Condé Parfum e você pode adquirir o seu aqui. Clique aqui para conhecer as demais joias olfativas da Condé!