31 outubro 2016

Prevenção do câncer de próstata é foco no Novembro azul

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). No Brasil, anualmente, mais de 61 mil pacientes são diagnosticados com a doença. Com objetivo de alertar a população sobre a importância de prevenir e diagnosticar precocemente este tipo de câncer, começa nesta terça-feira (1) o Novembro Azul.

A ação foi desenvolvida em 2003, na Austrália, durante o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, em 17 de novembro. Este é o mês em que entidades médicas se reúnem para promover a prevenção do câncer de próstata.

“A campanha do Novembro Azul tem o papel crucial de informar a população sobre o que é o câncer de próstata e incentivar os homens a irem ao urologista para prevenir esta doença”, enfatiza o urologista Rafael Buta, do Instituto Aliança Oncologia.

A próstata é uma glândula que fica localizada próximo à bexiga, e é responsável pela produção de parte do líquido seminal. O câncer de próstata acontece quando as células dessa glândula se reproduzem de forma anormal e descontrolada, levando ao crescimento de um tumor no local.

A principal forma de prevenção é a detecção precoce da doença. “Infelizmente, hoje em dia dois em cada dez pacientes com câncer de próstata são diagnosticados em fases mais avançadas da doença, em que as chances de tratamento curativo são menores”, ressalta Rafael.

A indicação médica é que a partir dos 50 anos de idade o homem consulte o urologista com maior frequência para avaliação individualizada. " É por meio da avaliação inicial que definimos a periodicidade de realização dos exames", explica o urologista.

Caso o paciente seja negro ou tenha parentes de primeiro grau com história de câncer de próstata, a avaliação deve ser iniciada aos 45 anos.

Os exames iniciais para detecção do câncer de próstata são as dosagens do PSA (sigla em inglês para Antígeno Prostático Específico) e o exame de toque da próstata. O PSA é uma proteína produzida naturalmente pela próstata e detectada em doses baixas na corrente sanguínea. Quando a próstata sofre algum dano, seja ele decorrente de inflamação, infecção, crescimento benigno ou surgimento de câncer, o PSA é detectado em valores mais altos no sangue.

Através do exame físico, o médico é capaz de palpar a glândula, determinar sua forma dimensão e verificar se existem áreas endurecidas que possam ser suspeitas de malignidade.

Caso o PSA e o exame físico estejam alterados, o urologista solicita uma biópsia da próstata. Nesse procedimento são retirados fragmentos da glândula que, posteriormente, são analisados. Somente após estes procedimentos é possível confirmar ou descartar o diagnóstico de câncer de próstata.

O tratamento da doença é determinado de acordo com o caso de cada paciente. As principais formar de tratar o câncer de próstata são: acompanhamento clínico, em casos de doença de baixo risco, com crescimento lento; operação para retirada de toda a próstata; radioterapia, como alternativa à operação em alguns pacientes; tratamento com hormônios; e quimioterapia - em casos mais avançados. 
Shutterstock


Marcela Brito (61) 98246-4469
Escritório (61) 3365-1379 / 1261